Tuesday, September 27, 2011

Carta de hoje

Essa mereceu postar! Detalhe que minha sis do suspensanoar.blogspot.com Tirou a rainha de espadas! Eitcha nois que é espada pra tudo quanto é lado...

Gêmeos - 27 de setembro de 2011
Rei de Espadas

Ninguém sabe tudo; toda a gente se engana e a maioria das vezes, temos muitas dúvidas, por isso, seja mais tolerante com as fragilidades e lacunas dos outros e até mesmo com as suas.

Dia de São Cosme e Damião

Bom dia pessoas!! Parece que foi ontem que estava conversando com a minha amiga sobre meus supostos problemas com "core" e ela disse para eu fazer uma oferenda para São Cosme e São Damião...e chegou o dia! Quase que esqueci!!!
Alias, alguem anotou a placa de 2011? 2 dias atras estava esperando loucamente por Setembro e sábado já é Outubro! S.O.S!

Vou acender minha vela quando chegar em casa e fazer as "pazes"...Tentar entender o que a minha "criança" está pedindo. Na aula que tive sobre Core tive um problema com o programa e a aula gravada foi pro espaço! Na aula presencial foi tudo ok, até a parte que eu cheguei em casa e a minha mandala rasgou =/ Realmente tem coisa errada aí!

Vou postar abaixo um textinho sobre os "dois" (ou seriam 3 "entidades"?)

"Há relatos que atestam serem originários da Arábia, de uma família nobre de pais cristãos, no século III. Seus nomes verdadeiros eram Acta e Passio.
Estudaram medicina na Síria e depois foram praticá-la em Egéia. Diziam "Nós curamos as doenças em nome de Jesus Cristo e pelo seu poder".
Exerciam a medicina na Síria, em Egéia e na Ásia Menor, sem receber qualquer pagamento. Por isso, eram chamados de anargiros, ou seja, inimigos do dinheiro.
Cosme e Damião foram martirizados na Síria, porém é desconhecida a forma exata como morreram. Perseguidos por Diocleciano, foram trucidados e muitos fiéis transportaram seus corpos para Roma.
Foram sepultados no maior templo dedicado a eles, feito pelo Papa Félix IV (526-30), na Basílica no Fórum de Roma com as iniciais SS - Cosme e Damião." - Wikipédia


E agora o mito de Demeter e Core...que alias, preciso é bater um papinho COM AS DUAS!



"Aqui nos encontramos com a incrível deusa Deméter ou Ceres, a Mãe Terra, soberana da natureza e protetora das criaturas jovens e indefesas. Na mitologia grega, Deméter era a responsável pelo amadurecimento anual do grão de ouro, e ao final do verão, o povo lhe rendia graças pela fartura que o solo havia lhes proporcionado. Ela regia os ciclos da natureza e de todas as coisas vivas. Presidia a gestação e o nascimento da vida nova e abençoava todos os ritos do matrimônio como meios de perpetuação da natureza. Deméter é a deusa matriarcal, a imagem do poder das entranhas da terra. Diz-se que ela ensinou aos homens as artes de arar, plantar e colher, e às mulheres, como moer o trigo e fazer o pão.



Deméter morava com a filha Core, alheia aos conflitos e disputas terrenas, na mais completa harmonia. Entretanto, um dia essa vida tranqüila e feliz foi violentamente alterada. Core saiu para passear e não voltou mais. Angustiada, Deméter procurou pela filha em todos os lugares, mas, para seu espanto, Core havia sumido sem deixar vestígios.


Conta a Mitologia que Hades, o tenebroso senhor das trevas, também chamado de O Invisível e de Plutão, havia se apaixonado perdidamente por Core e subira à superfície da terra em sua majestosa carruagem, puxada por dois imponentes cavalos negros e a raptara.

Desde que Hades raptou Core, a filha de Deméter, a terra sofreu muitas conseqüências. É que Deméter, deusa e mãe da terra cultivada, cheia de dor e revolta com a ausência da filha muito amada, retirou-se de suas funções, provocando na terra uma seca devastadora. Enfurecida, ordenou que a terra secasse, recusando-se a devolver-lhe a abundância. O mundo estava condenado a perecer por falta de alimentos.

Foi assim que a história aconteceu. Core, a donzela, e suas amigas ninfas, as filhas de Oceano, o deus mar todo-abrangente e pai de todos os rios, distraiam-se no meio de um campo florido, perto de Hena, na Sicília, quando foi vista e, de imediato, amada por Plutão, que acabara de ser atingido por uma seta de Eros, ficando enlouquecido de amor pela donzela. Eros havia atendido a um pedido de sua mãe Afrodite, que pretendia alargar seu império de Amor até o reino de Hades.

Deméter recusou a Plutão permissão para casar com sua filha, mas o pretendente não desistiu e pediu ajuda ao senhor do Olimpo e seu irmão, Zeus. Este o aconselhou a aguardar uma ocasião mais propícia para desposar Core. Assim, Plutão suspendeu o assédio, enquanto arquitetava um plano para realizar seu intento.

A oportunidade surgiu quando Core e suas amigas passeavam em um bosque de eterna primavera e águas puras e cristalinas. Enquanto brincava distraída Core percebeu, extasiada, um magnífico narciso à beira de um lago com centenas de flores, que espalhavam um suave perfume por todo o lugar. Esta planta, porém, tinha sido enviada à terra justamente para seduzir a jovem, pela deusa-mãe Gaia a pedido de Hades, o senhor do mundo inferior.



A donzela encantada pela flor de rara beleza debruçou-se para apanhá-la. Subitamente, surge do abismo escuro, de uma larga fenda aberta na terra , um carro de ouro conduzido por Plutão. A moça é arrebatada pelo senhor dos Hades, que a transportou rapidamente para as profundezas do seu reino. Core gritou pedindo socorro, na esperança de ser salva por Deméter ou talvez por seu poderoso pai, Zeus. Mas a carruagem já mergulhara no seio da terra e ganhara o mundo das sombras. Core continuou gritando, até que Deméter escutou os apelos da filha e correu para o local de onde veio o som, mas viu apenas a terra fechar-se sobre o rastro da filha.

Agora Core pertencia ao sombrio reino de Hades. Nem mesmo seu nome foi possível preservar, passando a chamar-se Perséfone.

Deméter, desesperada, vagou dias e noites à procura da filha. Subiu ao Olimpo, interrogando a todos e ninguém podia ajudá-la, pois quando vinha à superfície Plutão usava um elmo que o tornava invisível aos mortais.



Deméter então procurou o sol, que tudo vê, e pediu-lhe que revelasse quem havia raptado sua filha.

­ Plutão a arrebatou para o seu mundo, com o consentimento de Zeus, respondeu-lhe o Sol. Irritada, Deméter abandonou o monte sagrado e suas funções divinas. Resolveu permanecer na terra até que lhe devolvessem a filha. Disfarçada de velha, dirigiu-se aos Elêusis, onde foi convidada pela rainha Metanira a cuidar do seu filho Demofonte.

A deusa desejava tornar o menino imortal, e passou a realizar, diariamente, o ritual iniciático. Uma noite Metanira surpreendeu a deusa durante o ritual. Vendo o filho entre as chamas do fogo, gritou desesperada. Deméter interrompeu o rito iniciático e surgiu em todo o seu esplendor de deusa. Solicitou, então, que lhe erguessem um grande templo, onde ela, pessoalmente, ensinaria seus ritos aos seres humanos.

Depois, recolheu-se no interior do Santuário, consumida pela saudade da filha Perséfone. Tal era a sua dor e revolta, que manteve sua recusa em continuar protegendo as plantações e colheitas. A terra estava estéril e as plantações morriam. A fome se alastrava.

Vendo que a ordem do mundo estava ameaçada, Zeus mandou mensageiros a Deméter, pedindo-lhe que retornasse ao Olimpo. Ela impôs como condição que lhe devolvessem a filha, para só então voltar ao convívio dos deuses e restabelecer a vida da vegetação.

Zeus enviou seu filho Hermes, o mensageiro, para que pedisse a Plutão a libertação de Perséfone. Embora Plutão estivesse em posição menos relevante que o de seu irmão Zeus, possuía também um enorme poder, uma vez que suas leis eram irrevogáveis. Uma vez que a alma entrasse para o reino de Hades, ninguém, nem mesmo o rei dos deuses, poderia tirá-la dali. Entretanto, Plutão consentiu em devolver Perséfone à mãe, mas antes de fazê-lo, o senhor do Hades, habilmente, induziu-a a comer uma semente de romã, a fruta dos mortos, que a impediria de deixar a "outra vida" definitivamente. Perséfone estaria ligada a ele para sempre. Ela desconhecia a regra do Tártaro que determinava que "quem comesse qualquer coisa no Tártaro, devia para sempre retornar" e aceitou o oferecimento do esposo.

Chegou-se, então, a um acordo. Perséfone deveria governar o mundo das trevas junto com o esposo durante quatro meses do ano, e as duas outras partes ficaria com a mãe e no convívio dos deuses. E assim aconteceu. Embora passasse vários meses em companhia da mãe, não podia contar a ninguém os segredos dos mortos. Perséfone era, agora, a rainha das trevas e a guardiã dos segredos dos mortos. Desse modo, ao comer a romã, Perséfone abriu mão da inocência da infância para se tornar a guardiã dos mistérios de seu sombrio domínio.

Feliz com o retorno da filha, Deméter dirigiu-se para o Olimpo em sua companhia e à medida que caminhava, seus passos umedeciam e fertilizavam os campos ressecados . As flores voltaram a desabrochar e toda a natureza ficou , afinal, em festa.

Antes de voltar ao Olimpo, a deusa ensinou todos os seus rituais ao rei Céleo e a seu filho Triptólemo, instruindo-os nos Mistérios dos Elêusis, tendo sido proclamada a "maior fonte de riqueza e alegria". Recuperando a companhia de sua amada filha Perséfone, a deusa devolveu o grão da vida, que em sua dolorosa ira, havia retirado e escondido.

Deméter é a Terra-mãe, a matriz universal, a mãe do grão. Core, o grão do trigo, alimento e semente que, escondida por certo tempo no seio da terra, dela novamente brotou gerando novos frutos. Seu mundo é fértil e de um potencial criativo sem limites."

Um bom dia a todos!

Friday, September 23, 2011

Primavera

Bom dia pessoas! (plural? oi? rs)

Tinha como não vir aqui hoje? 23/09, começa mais uma primavera! A tão esperada primavera! Epoca do renascimento!! Após um longo inverno está na hora de abrir as asas e voar...ou não! Explico...

Há pouco mais de 1 ano sempre fui fã do inverno! Aquele friozinho, ficar em casa debaixo das cobertas quietinha...AMAVA..
Hoje não sei mais trabalhar com essa energia introspectiva! Eu tinha um lado "perséfone" aí muito forte mas OBVIO que não enxergava! Alias, não enxergava muitas coisas que hoje vejo claro como agua!

E repito: enxergar as coisas não fazem elas ficarem mais fáceis! Trabalhando a espiritualidade eu aprendi a ver as coisas e a conseguir meios para enfrentá-las! Saber esperar quando tem que esperar e assim por diante!
Me lembro perfeitamente quando fui para uma aula de xamanismo e estava MUITO agoniada por uma situação que meu pai estava passando. Pedi orientação para meus guardiões e "eles" me mandaram a carta do Enforcado!
A primeira reação que tive foi chorar! Ai fui ver o significado que , resumidamente, foi : "espere a situação passar porque você nao vai poder fazer NADA a respeito"...foi muito dificil. Mas esperei passar! E aqui estou! 6 meses depois tudo resolvido...era um gasto de energia a toa sabe? (alias, é o meu dom em gastar energia a toa...até o dia que fiz uma jornada com a minha águia! NUNCA MAIS)

Deixando essa historia de lado..vim aqui registrar a minha alegria com a chegada da primavera! Estação muito aguardada por muita gente! Hora de renascer pessoas!! Para uma caminhada florida!

Monday, September 19, 2011

...

"People are often unreasonable, illogical, and self-centered; forgive them anyway.

If you are kind, people may accuse you of selfish, ulterior motives; be kind anyway.

If you are successful you will win some false friends and true enemies; succeed anyway.

If you are honest and frank, people may cheat you; be honest and frank anyway.

What you spend years building, someone could destroy overnight; build anyway.

If you find serenity and happiness, they may be jealous; be happy anyway.

The good you do today, people will often forget tomorrow; do good anyway.

Give the world the best you have, and it may never be enough; give the world the best you've got anyway.

You see, in the final analysis, it is between you and God; it was never between you and them anyway." -Mother Teresa

Friday, September 16, 2011

15/09/2011

Ontem (15/09) terminou mais uma jornada! Acabou meu curso de xamanismo e espiritualidade feminina após quase 11 meses de curso e a desistencia de mais da metade da turma!! Restaram 3 heroinas nessa jornada e amei cada pedaço dela! Não, não é facil! A Karina que entrou naquela sala em outubro de 2010 não existe mais! E acho que não vou sentir falta dela não! E não pessoas! A vida nao ficou mais facil! O caminho do auto conhecimento é mais sofrido do que a gente pensa! E entramos em contato com "partes" nossas que nunca pensamos em existir! No inicio dessa jornada a Deusa que veio me acompanhar foi Bast (até fiz um post sobre ela aqui) e agora, nesse fechamento (aula sobre Hera, a grande rainha) a Deusa que veio me acompanhar foi Isis!! e o conselho de Hera foi fraternidade! é foi isso! Uma grande fraternidade! Amo demais essas meninas e tenho muito a agradecer a Patricia Fox pelo lindo trabalho realizado! Gratidão sempre! Grande mãe, nos abençoe com o seu manto azul e com o crescente sob seus pés!!!

Linda carta que saiu no final do curso! Mostrando novamente que tenho que "dar a luz" a novas ideias para que eu possa trilhar o meu caminho! Essa carta fez todo o sentido! Nesse curso eu "gerei" uma vontade em mim de cura muito grande! e agora eu preciso deixar que ela "nasça" e vá para o mundo!
Bençãos da grande mãe! K.

Sunday, September 04, 2011

Poções e Dicas Mágicas

Segundo maly Caran, nas últimas décadas, o homem e a civilização industrial nos afastaram do seio de nossa mãe natureza, desa grande dispensa nutritiva e curativa que é o reino natural. Em troca nos oferecem produtos se uma química absurda feitos com a mais moderna tecnologia, que dizem acabar com a doenças, mas que procovam efeitos colaterais nem sempre agradáveis e equilibrados. Maly afirma que os diferentes aromas e formas estimulam sensação de bem-estar e, ajudam a atrair coisas boas para o dia-a-dia. Vejam alguns:
Alho - tradicional amuleto de proteção e boa sorte. Na Roma Antiga, era mastigado cru antes de os soldados irem para as batalhas, pois dava resistência e força para enfrentar o inimigo. É fácil cultivá-lo em casa, basta enterrar um dentinho num vaso: “O melhor é plantar na cozinha ou manter sempre uma réstia de alho pendurada perto do fogão. Isso mantém a família unida e protegida das más influências”.
Artemísia - erva da vitalidade e do entusiasmo. Ajuda a superar períodos de cansaço ou baixa de energia. O nome vem do grego Artemis, evocando a deusa da fertilidade e da feminilidade: “Quando tive meu terceiro filho, enfeitei a casa toda com essa erva, que protege o momento do parto e das colheitas. É ótima para espantar os maus fluidos, e um galhinho colocado no sapato guarda as pessoas durante longas viagens”.
Arruda - utilizada pelas benzedeiras para espantar o mau-olhado, essa erva de cheiro forte tem efeito protetor, simbolizando o arrependimento. É ótimo tê-la por perto: “Estimula a consciência dos próprios erros e ilumina as decisões mais acertadas”, conclui a herborista.
Malva - planta dos prazeres e da beleza. Suaviza os ânimos, ressalta as características femininas na mulher e desperta a sensibilidade nos homens. Facilmente cultivada em vasos, embeleza a casa e estimula a paixão: “Quando quiser conquistar alguém, coloque folhas de malva debaixo do lençol. No mínimo, o perfume será muito agradável”.
Manjericão - erva associada à riqueza, à abundância e à boa sorte. Diz a lenda que ter em casa os sete tipos diferentes de manjericão traz dinheiro e prosperidade. “Plante as mudas ou sementes em lugar ensolarado e, quando começarem a crescer, o dinheiro estará chegando”. Os ramos também podem ser usados em arranjos e duram cerca de uma semana na água. Essa erva perfuma e embeleza os ambientes, com efeito estimulante e revitalizador.
Tomilho - uma plantinha cheirosa e de fácil cultivo. Fica bonita em vasos, mas as pequenas folhas secas também aromatizam os ambientes. O nome vem da palavra grega thymia, que significa perfume. Ótima para afugentar melancolia e estimular vigor e lucidez na hora de tomar decisões importantes.
Sálvia - o nome vem do latim, salvare, que evoca a cura. Era com a queima da sálvia que os curandeiros combatiam a peste e purificavam o ar dos ambientes infectados. “Em casa, um vaso de sálvia protege os moradores contra acidentes e doenças graves. A erva seca é usada na defumação. Nas duas formas promove a sensação imediata de força e bem-estar”, explica a herborista.
Hortelã - importante ter essa erva por perto quando a casa está em guerra, em tempos de turbulência e conflitos. Ajuda a dissolver a raiva e controla as atitudes precipitadas. “Essa planta tem efeito calmante e harmonizador. Tê-la em vasos ou arranjos, tomar chá ou banho com ela apazigua os ânimos”.
Salsinha - famoso tempero, também é conhecido como a erva da juventude. Cultivar um vaso ou canteiro de salsinha traz entusiasmo, restaura a força e a saúde dos moradores. “Além de ser um anticanceroso intenso e de regular o ciclo menstrual, a erva, usada no banho de infusão, elimina as energias negativas do corpo e dá ânimo”.
Louro - erva da fama e da glória. Na tradição greco-romana, imperadores, heróis e poetas usavam coroas de louro como sinal de que eram pessoas muito importantes. Ela tem propriedades purificadoras e relaxantes. “As folhas frescas ou secas mantêm-se sempre verdes. Colocadas no quarto, sobre a mesa ou no armário de roupas exalam perfume suave e atraem êxito”.
Mirra - essa preciosa erva de origem oriental foi oferecida pelos Reis Magos ao menino Jesus recém-nascido. É uma planta de proteção e cultivá-la num vaso na entrada da casa traz bons fluidos a quem chega, protegendo os ambientes de qualquer negatividade. “Coloque as folhas em peneiras e, depois de secas, queime-as. É um incenso natural muito agradável”.
Alecrim - erva da felicidade e do amor: “Quem está procurando um namorado deve guardar sempre um galhinho junto ao corpo”. O nome científico é Rosmarinus officinalis, que quer dizer orvalho do mar, simbolizando a inocência. Essa planta é forte e ao mesmo tempo delicada, gosta de sol e de vasos grandes. Em arranjos, os galhos combinados com rosas são a própria expressão do romantismo. As bruxas da Idade Média costumavam queimar alecrim para espantar maus espíritos, purificar a energia de pessoas e lugares. “Isso vale até hoje. É uma planta espiritual, evoca fidelidade e recordações felizes”.
O Obejtivo desta sessão é dar "referências" e não visa fazer a cabeça de ninguém para interromper tratamentos alopáticos sem orientações de um fitoterapeuta, ou medico naturalista. Os riscos de qualquer beberagem que é feita de forma abusiva e sem o devido conhecimento, ainda que a substância seja natural, já está comprovado. O termo "veneno" (poison) vem das poções à base de ervas preprados pelas pitonisas, magas e feiticeiras para serem usadas como remédios ou afrodisíacos.
Nas subseções você encontrará várias receitas, de xamãs, terapeutas, herboristas, etnobotânicos e ....se tiver alguma boa,escreva para nós.
Harmonia - Amor - Paz e Luz
Fonte: http://www.xamanismo.com.br/Poder/SubPoder1195898354